PERMACULTURA

Três princípios básicos:

Cuidar do Planeta. Cuidar das pessoas. Distribuir os excedentes.

A permacultura acredita que cada ser humano deve tomar para si a responsabilidade dos seus impactos e de seus filhos no meio ambiente.

Ela é uma maneira inteligente e divertida de se planejar e manter o meio no qual se vive, podendo ser aplicada em jardins, escolas, ruas, bairros, fazendas, chácaras e até mesmo em cidades inteiras.

No Brasil, o primeiro Permaculture Design Course (PDC) aconteceu no início da década de 1990 e hoje é possível encontrar centros de referência e estações permaculturais em diversos Estados do país.

Ao estudar permacultura você pode aprender técnicas de bioconstrução, planejamento de setores permaculturais, desenvolvimento de sistemas produtivos, eficientes e interativos. Ela leva em conta a promoção do entorno social, por meio da economia solidária e projetos comunitários, desenvolvendo assim a tarefa de cuidar das pessoas.

Suas técnicas ensinam a sustentar financeiramente os sistemas de produção, de maneira correta e eficiente dos pontos de vista ambientais, econômicos, sociais, políticos e culturais.

PERMA O QUE?

A Permacultura é um design para criação de ambientes humanos sustentáveis. Mollison (1991).

A Permacultura foi criada em meados de 1970 pelos ecologistas australianos David Holmgren e Bill Mollison.

O termo Permacultura surge então como a junção das palavras agricultura e permanente e envolve uma síntese das culturas ancestrais e conhecimentos da ciência moderna. Um método para se alcançar uma cultura sustentável.

Princípios

Os princípios da Permacultura vem da posição de Mollison e Holmgren de que “a única decisão verdadeiramente ética é cada um tomar para si a responsabilidade de sua própria existência e da de seus filhos” (Mollison, 1991).

A ênfase está na aplicação criativa dao princípios básicos da natureza, integrando plantas, animais, construções, e pessoas em um ambiente produtivo e com estética e harmonia.

Baseado na ética da Permacultura descrita na obra “introdução a Permacultura” de Bill Mollison e Ren Sla (1991, p. 15) entende-se as principais premissas da Permacultura:

O cuidado com o planeta Terra – Cuidar do lugar onde se habita, um príncipio básico e de peso. Visa guiar as ações humanas para que haja preservação de tudo o que é ou não vivo por tempo indeterminado, valorizando cada um dos elementos existentes e cada um dos processos naturais.

O cuidado com as pessoas – Proporcionar qualidade de vida ao ser humano é fundamental para garantir sua sobrevivência. Promover sistemas bem planejados para que todos tenham acesso aos recursos básicos necessários a existência. É preciso reduzir a necessidade de consumir recursos não renováveis. Pois o impacto causado pela humanidade no planeta é o mais marcante.

Distribuição dos excedentes – Um sistema bem planejado tem condições de alcançar uma alto índice de produtividade gerando um excedente de recursos. Assim, deve-se criar e incentivar meios de distribuição de forma igualitária, garantindo o acesso aos recursos a todos os que deles necessitam.

flor_principios1

Fonte: permacultura

Recentemente David Holmgren baseado nos princípios já existentes apresentou “Os 12 princípios Permaculturais” (2007), sendo eles:

  1. Observe e interaja;
  2. Capte e armazene energia;
  3. Obtenha um rendimento;
  4. Pratique a auto-regulação e aceite o feedback;
  5. Use e valorize serviços e recursos renováveis;
  6. Não produza desperdícios;
  7. Faça um design partindo de padrões amplos e chegue até os detalhes;
  8. Integrar ao invés de segregar;
  9. Use soluções pequenas e lentas;
  10. Use e valorize a diversidade;
  11. Use as bordas e valorize os elementos marginais;
  12. Use a criatividade e responda as mudanças;

Quando Bill Mollison e David Holmgren escreveram o livro Permacultura Um (1973) eles atribuem a Permacultura as seguintes caracteristícas:

  • É possível o uso da terra em pequena escala.
  • O uso da terra é intensivo e não extensivo (grandes escalas, monocultural).
  • Diversidade nas espécies de plantas, variedades, produtividade, micro-clima e habitat.
  • Longo prazo: um processo evolucionário abarcando várias gerações.
  • Os elementos integrantes do sistema são silvestres ou pouco selecionados.
  • Possibilita a integração da agricultura, pastoreio, reflorestamento, realizando uma verdadeira engenharia ecológica.
  • É adaptável a terras marginais, pantanosas, rochosas ou inclinadas, inadequadas a outros sistemas.

É preciso fazer com que a humanidade repense seus valores, reavalie seus custumes e redefina o que considera necessário para que se alcance a qualidade de vida. Pois a natureza oferece em abundância tudo o que os seres humanos necessitam; água, alimento e abrigo. Em troca só é preciso respeitá-lá.

MENDES, Rafaelle. “Perma O Quê? Permacultura para quem não sabe mas quer saber”. Curitiba/PR 2010.

Anúncios